Compartilhar no WhatsApp

Por Joana Caldas, G1 SC

Temporal causa estragos em Ibirama — Foto: Prefeitura de Ibirama/Divulgação

Nove pessoas seguem desaparecidas no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, após a forte chuva e a enxurrada que atingiram a região entre a noite de quarta (16) e madrugada de quinta (17), segundo a Defesa civil estadual. Sete dos desaparecidos são de Presidente Getúlio, sendo cinco delas da mesma família. Há duas pessoas desaparecidas em Rio do Sul.

Continua depois da publicidade

Ainda segundo a Defesa Civil, em boletim divulgado às 22h30 de quinta, 12 pessoas morreram por causa do temporal: onze em Presidente Getúlio e uma em Ibirama.

Na manhã desta sexta ainda pode chover forte e há risco alto de deslizamentos no Vale do Itajaí. O tempo instável segue em Santa Catarina pelo menos até domingo (20).

As forças de segurança seguem realizando buscas aos desaparecido e também fazendo levantamento dos estragos. Nesta sexta-feira (18), ainda havia muita água nas ruas em Presidente Getúlio, mas moradores começaram a limpar suas casas e comércios.

Segundo o comendante geral dos bombeiros de Santa Catarina, coronel, Charles Alexandre Vieira, o foco inicial das equipes foi retirar as pessoas de áreas risco e de locais isolados.

Até as 22h30, havia 144 pessoas desalojadas e 55 desabrigadas em quaro cidades catarinenses: Ibirama, Rio do Sul e Lontras, no Vale do Itajaí, e Siderópolis, no Sul do estado. A Defesa Civil não divulgou número de desabrigados e desalojados em Presidente Getúlio. Há famílias em abrigos na cidade.

A situação dos morros e encostas será analisada. “Todas essas em encostas desceram. Em Presidente Getúlio, no trajeto que esse desmoronamento tinha muitas residencias”, disse o comandante geral dos bombeiros.

O diretor de Gestão de Riscos da Defesa Civil de Santa Catarina, Felipe Gelain, resumiu o que foi feito nesta quinta e o que ainda é necessário fazer.

“Hoje [quinta], basicamente, o trabalho do pessoal de campo, seja da força-tarefa, Corpo de Bombeiros, bombeiros voluntários e Polícia Militar, foi em retirar essas famílias da área de risco, trazê-las para a proteção para depois a gente começar então a análise danos, a busca dos desaparecidos e dos possíveis corpos que podem não ter sido localizados ainda”.

Ao todo, 11 municípios do Vale do Itajaí, da Grande Florianópolis e do Sul registraram estragos, conforme o boletim da Defesa Civil. Os maiores estragos foram em Presidente Getúlio, onde a enxurrada levou até carros e trouxe lama para o Centro da cidade.

O trajeto onde fica o ribeirão no bairro Revólver ficou todo comprometido, conforme o comandante dos bombeiros voluntários de Presidente Getúlio, Alex Lima. São cerca de 4 quilômetros de ribeirão.

“Praticamente todo esse trajeto ficou comprometido com pedras, barreiras, estradas danificadas, etc”, afirmou o comandante. Cerca de 370 casas e 1,6 mil pessoas foram atingidas.