Compartilhar no WhatsApp

Duas crianças de 6 e 9 anos, além de uma adolescente de 17, precisaram receber atendimento médico depois de comer uma sobremesa na noite dessa sexta-feira (18), em Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte.

Esposa do homem levou as crianças e a adolescente à UPA São Benedito (Reprodução/Google Street View)

De acordo com a aspirante Carolinne Marques, militar que atuou na ocorrência, o pai das crianças confessou ter envenenado uma mousse de maracujá com remédios e servido o doce para os filhos e a sobrinha adolescente.

Continua depois da publicidade

“Quando a mãe chegou em casa, a adolescente, responsável por cuidar das crianças, disse que todos tinham comido uma mousse de maracujá e que, depois de um tempo, começaram a sentir sonolência, náusea e vômitos”, conta a militar ao BHAZ.

Ainda em casa, a mulher de 32 anos confrontou o marido sobre a sobremesa. O homem negou ter colocado qualquer substância na mousse e, para provar, comeu o restante do doce. Momentos depois, no entanto, ele também começou a passar mal.

A esposa do homem levou os filhos e a sobrinha à UPA São Benedito, onde todos foram atendidos. A médica da unidade de saúde acionou a PM depois de suspeitar que as vítimas tivessem sido envenenadas.

De acordo com a aspirante Carolinne Marques, as vítimas estavam estáveis e sob observação na UPA, mas seriam encaminhadas ao hospital João XXII para mais procedimentos médicos.

Confissão

O suspeito também recebeu atendimento médico e posteriormente foi levado à delegacia, onde foi preso. “Em um primeiro momento, ele negou o envenenamento dos filhos, mas depois confessou e indicou o medicamento usado”, explica a aspirante Carolinne Marques.

Segundo ela, tanto a mãe quanto o pai das crianças disseram que os dois haviam tido um desentendimento na quinta-feira (18), dia anterior. A Polícia Militar ainda recolheu uma sacola com vários medicamentos na casa da família.

Procurada pelo BHAZ, a Polícia Civil informou que instaurou procedimento para apurar o caso e que os medicamentos serão submetidos a análise. A corporação aguarda a conclusão dos laudos periciais para concluir as circunstâncias do ocorrido.

Por Portal BHAZ