Compartilhar no WhatsApp

O presidente dos Estados Unidos Joe Biden pediu na noite de quinta-feira (10), em entrevista pré-gravada à NBC News, aos cidadãos do país que deixassem a Ucrânia imediatamente, diante da crescente ameaça de uma possível invasão russa. Nesta sexta-feira (11), Japão, Holanda e Coreia do Sul seguiram o exemplo do presidente americano e fizeram o mesmo pedido.

Países-membros da Otan estão avaliando até que ponto deveriam ajudar a Ucrânia no conflito com a Rússia (Imagem: Getty Images)

“Estamos lidando com um dos maiores exércitos do mundo”, afirmou Biden. É uma situação muito diferente e as coisas podem enlouquecer rapidamente.”

Continua depois da publicidade

O presidente reiterou que, sob nenhuma circunstância, enviaria tropas à Ucrânia para evacuar cidadãos norte-americanos em caso de conflito. “Isso é uma guerra mundial. Quando americanos e russos começam a atirar uns nos outros, estamos em um mundo muito diferente.”

A Ucrânia insiste que nada mudou e diz não haver necessidade de ninguém deixar o país. Entretanto, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, alertou, em entrevista coletiva, que a Rússia pode lançar uma invasão a qualquer momento.

“Simplificando, continuamos a ver sinais muito preocupantes da escalada russa, inlcuindo novas forças chegando à fronteira ucraniana”, afirmou. Segundo estimativas dos Estados Unidos, cerca de 130 mil soldados russos estão localizados perto da fronteira com a Ucrânia.

Do R7.com