Compartilhar no WhatsApp

Embora o conflito entre a Rússia e a Ucrânia seja praticamente do outro lado do mundo, os efeitos dessa guerra já chegam com força nos países do ocidente. Com as sanções comerciais aplicadas contra a Rússia, encabeçadas principalmente pelos Estados Unidos, uma das commodities com mais demanda no mundo, o petróleo, já começa a ter o seu preço disparado. Nos últimos dias, o barril do petróleo chegou a custar 140 dólares, o que fez o preço dos combustíveis dispararem em todo Brasil.

Gasolina ameaça chegar a R$ 8 em Sergipe com efeitos do conflito na Europa

Em Sergipe, a ameaça já está batendo na porta dos consumidores. A refinaria de Mataripe-BA, privatizada recentemente, e que abastece as principais distribuidoras na região entre os estados da Bahia e Sergipe, já comercializa a gasolina a um preço 27% superior ao da Petrobras, que continua segurando os reajustes. No estado baiano, muitos postos já têm o litro da gasolina acima dos R$ 8, e não deve demorar para que o mesmo aconteça em Sergipe.

Continua depois da publicidade

“Como se trata de uma refinaria privatizada, ela independe da politica de preço de reajuste da Petrobras, então eles estão reajustando os valores de maneira mais célere. No ultimo sábado, dia 5, eles reajustaram a gasolina e o diesel, e as bombas na Bahia já amargam mais de R$ 8 dentro do estado. Como o valor deles serve de referência aqui pra Sergipe, a expectativa em Sergipe é a mesma”, explica Maurício Cotrim, secretário-executivo do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Sergipe (Sindpese).

O representante dos revendedores de combustíveis explicou, no entanto, que as distribuidoras em Sergipe têm repassado os reajustes de forma ‘gradativa e mais responsável’. Maurício acredita que em breve, a Petrobras também deve anunciar novos aumentos.

“Já existe defasagem de 5% no preço dos combustíveis da Petrobras, isso porque há um movimento do Governo, de cunho inclusive político, para tentar segurar o preço, mas o mercado hoje está imprevisível, a gente não sabe ate onde a Petrobras vai conseguir segurar esse repasse. Dependendo até onde a guerra se estender, existe o risco do barril do petróleo chegar a 300 dólares, o que seria catastrófico para o mundo inteiro, considerando que o petróleo é a maior fonte energética”, relata.

Diesel

Quem disparou na frente da gasolina foi o diesel, que também é motivo de extrema preocupação para o Sindpese. “É um elemento que nos preocupa ainda mais, porque o diesel move nosso país. Então imagine o efeito cascata grande com esses aumentos, porque a gente sabe que o combustível é o grande vilão da inflação do país. Como ficarão as pessoas que dependem do combustível para colocar comida na mesa? É um cenário que nos preocupa bastante”, lamenta Maurício.

O Sindpese lembrou que entre os revendedores sergipanos, a política de preços é livre, conforme a cadeia de custo de cada um, portanto, na medida em que os estoques forem sendo substituídos e os novos valores de compra do combustível forem sendo praticados, cada posto de combustível têm liberdade para fixar seu preço para o consumidor.

FanF1