Compartilhar no WhatsApp

A denúncia foi feita em janeiro, mas veio à tona nesta sexta-feira (29) após o tio da criança de um ano entrar em contato com a produção do Portal A8SE. Segundo ele, que prefere não ser identificado, o suspeito do estupro é o padrasto da vítima.

Continua depois da publicidade

A suspeita surgiu após uma viagem para o estado de São Paulo. A família, que reside em Rosário do Catete, foi visitar parentes, que perceberam comportamentos estranhos na criança. De acordo com o denunciante, todas as vezes que iam trocar a fralda, na hora do banho ou quando o padrasto aparecia, a bebê começava a chorar.

Preocupados, os responsáveis a levaram ao médico, que diagnosticou na criança uma suspeita de violência ginecológica, infecção vaginal e que o hímen tinha sido rompido.

Exames e acompanhamento do caso foram feitos na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes e no Instituto Médico Legal (IML), quando teria sido comprovada a violência na vítima.

A família, então, prestou queixa na Delegacia Distrital de Rosário do Catete, mas, até o momento, nada foi feito, conta o familiar.

Atualmente, a bebê mora com a avó, pois a mãe da criança permanece em relacionamento com o suspeito e acredita na inocência dele.

“Minha sobrinha está sofrendo com tudo isso. E ela está aqui na mesma cidade, em um povoado próximo da gente, debochando nos grupos, dizendo que tudo é mentira”, relata o tio.

Buscamos à Secretaria de Segurança Pública para saber sobre o encaminhamento das investigações, no entanto, ainda não tivemos retorno.

Fonte: A8SE