Compartilhar no WhatsApp

O fotógrafo João Pedro Poderoso afirmou que foi vítima de homofobia durante uma cerimônia de batismo, realizada neste domingo (15), em uma igreja evangélica de Aracaju.

Continua depois da publicidade

Segundo ele, o batismo foi cancelado em virtude da sua orientação sexual e ele só foi avisado de que não poderia participar da cerimônia após ser convidado a deixar o altar para falar com o pastor.

“Eu fui chamado por um líder e levado a uma sala, onde ele me informou que o pastor gostaria de falar comigo e chegando lá, ele me informou que eu não poderia ser batizado porque eu era homosexual e casado com outro homem. Sendo que toda a igreja sabia do meu relacionamento com o meu esposo, eu já frequentava a igreja há um ano. Não era novidade o nosso relacionamento”, disse.

Ainda de acordo com Pedro, ele fez um curso preparatório de seis semanas e nunca foi citado que não poderia participar da cerimônia. “Eu fazia parte de uma turma de preparação, e durante todo esse curso eu não fui informado em momento algum que não poderia participar do batismo”.

Ainda segundo ele, um advogado foi acionado para cuidar do caso e um Boletim de Ocorrência foi registrado do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV).

O que diz a igreja

Através de nota, a Igreja Presbiteriana Renovada de Aracaju (IPRA) informou que um congregado, candidato ao batismo, não estando apto segundo normas internas não pode participar do ato batismal.

A nota diz ainda que a comunicação feita ao mesmo a respeito da impossibilidade de seu batismo se deu de modo reservado, em espaço privativo, na secretaria da igreja, sem publicitação do mesmo, ou mesmo das razões do impedimento, com vistas a evitar qualquer tipo de constrangimento.

Fonte: G1 SE