Compartilhar no WhatsApp

Nesta terça-feira (14), um feto abortado por uma gestante foi encontrado perto dos banheiros da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Ponto Novo, em Aracaju.

Continua depois da publicidade

Em nota, a instituição religiosa informou que uma zeladora sentiu um forte odor no corredor do templo quando percebeu a presença do corpo estranho e muito sangue. Equipes da Polícia Civil, Militar e Criminalística estiveram no local para atender a ocorrência. O corpo foi recolhido pelo Instituto Médico Legal.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP).

Confira a nota na íntegra:

O direito à vida é incondicional. Deve ser respeitado e defendido, em qualquer etapa ou condição em que se encontre a pessoa humana. O direito à vida permanece, na sua totalidade, para o idoso fragilizado, para o doente em fase terminal, para a pessoa com deficiência, para a criança que acaba de nascer e também para aquela que ainda não nasceu. Na realidade, desde quando o óvulo é fecundado, encontra-se inaugurada uma nova vida, que não é nem a do pai, nem a da mãe, mas a de um novo ser humano. Contém em si a singularidade e o dinamismo da pessoa humana: um ser que recebe a tarefa de vir-a-ser. Ele não viria jamais a tornar-se humano, se não o fosse desde início. Esta verdade é de caráter antropológico, ético e científico. Não se restringe à argumentação de cunho teológico ou religioso.

O respeito à vida e à dignidade das mulheres deve ser promovido, para superar a violência e a discriminação por elas sofridas. A Igreja quer acolher com misericórdia e prestar assistência pastoral às mulheres que sofreram a triste experiência do aborto. O aborto jamais pode ser considerado um direito da mulher ou do homem, sobre a vida do nascituro. A ninguém pode ser dado o direito de eliminar outra pessoa.

Na manhã de hoje (14), foi encontrado um Feto abortado próximo aos banheiros da Igreja, onde antes acendiam-se velas de devoção, na parede externa da Capela do Santíssimo. O mesmo foi encontrado pela zeladora, que sentindo um forte odor e vendo marcas de sangue, lavou o local e recolheu sem saber do que se tratava. A mesma comunicou a secretaria paroquial que imediatamente levou ao meu conhecimento.

Sob minha orientação, a secretaria paroquial encaminhou as fotos ao médico amigo Dr. Joel Torres e sua esposa, que confirmaram ser um feto. E orientou-me a prestar um BO. Antes de o fazer, liguei para o amigo Lucas Pinheiro da Polícia Civil que orientou-me os passos a serem tomados ligando para o 190. O mesmo fez-se presente até a chegada da viatura.

Desta forma, a Polícia Militar fazendo-se presente, acionaram a Polícia Civil, que também esteve presente ao local, tomando as providências com a criminalística e o IML para recolher o feto abortado. Sob orientação do delegado presente, nos dirigimos, com a zeladora para prestarmos BO na Superintendência da Polícia Civil desta capital.

No mais, agradeço aos policiais e amigos que nos orientaram. Não irei pronunciar-me mais a respeito e nem os funcionários da paróquia estão autorizados.

Conclamamos os paroquianos e demais fiéis a unirem-se em oração e a se mobilizar, promovendo atividades pelo respeito da dignidade integral da vida humana.

Fonte: A8SE