Compartilhar no WhatsApp

Blogueira lagartense, com mais de 300 mil seguidores, se envolveu em nova polêmica por conta de falas com cunho preconceituoso

Por Danniel Prata – OPapaJaca.com

Continua depois da publicidade
Reprodução: Instagram

A influencer lagartense Sheilla Raquel admitiu que errou ao categorizar as oferendas de macumba como algo ruim e até desprezível. Um vídeo foi postado por ela em seu IGTV, no Instagram, ao lado de uma mãe de santo de Aracaju, do Centro Social algum e Iemanjá, que aceitou o convite para ajudar a conscientizar seu público sobre “o amor e a coerência” do umbandismo, após a indicação de uma seguidora.

Segundo ela, seu ato teria sido de “ignorância pura” e realmente “magoou e ofendeu pessoas”, às quais pediu desculpa. Na gravação, Sheilla fala menos da metade de todo tempo; a condução fica por conta da Mãe Jô, dona do terreiro, que é dura na repreensão e caridosa no perdão – uma lição à sociedade. “Quem não sabe a luta que temos a tanto tempo para ter o direito e a liberdade de ‘trabalhar’ [ofertar]?”, questiona a sacerdotisa.

Após a polêmica com as mais recentes falas da lagartense, a Polícia Civil decidiu abrir um inquérito para apurar a prática de intolerância religiosa com a fé de matriz africana. Não foi a primeira vez que Raquel se envolveu num ‘bafafá’ por conta de falas que reproduzem racismo. Em 2018, em meio à sua campanha para deputada estadual, um vídeo seu comparando o próprio rosto descuidado a Zumbi dos Palmares, liderança histórica na luta contra Escravidão, repercutiu e acabou por manchar sua imagem. Talvez agora, ela e tantos outros, tenham aprendido a lição. O Papa-Jaca segue acompanhando.