Compartilhar no WhatsApp

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje (02), suspender julgamento do ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL) e do deputado estadual Talysson de Valmir (PL). O presidente do TSE, ministro Edson Fachin decidiu acatar o pedido de vista do ministro Carlos Horbach.

Continua depois da publicidade

O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE) cassou os direitos políticos do pai e filho em 2019, ao interpretar que houve abuso de poder e uso da máquina administrativa da Prefeitura de Itabaiana nas Eleições 2018.

Na Sessão Plenária realizada em Brasília, o ministro Sérgio Banhos, relator do caso, deferiu os pedidos de assistência; sustentando o direito oral de defesa dos acusados.

Na defesa, os advogados salientaram o equívoco das acusações a Valmir de Francisquinho e Talysson Costa terem usado a cor azul nas reformas e restruturações da cidade de Itabaiana com o objetivo de autopromoção de campanha partidária. Os advogados defenderam que Itabaiana carrega a cor azul na bandeira e já havia sido usada por prefeitos anteriores, e segundos a defesa, Valmir estaria seguindo as tradições.

O advogado de acusação salienta que Valmir usou da cor azul para a promoção da candidatura do seu filho, Talysson de Valmir, ao cargo de deputado estadual, tendo feito um movimento em Itabaiana chamado “Onda Azul” usando a máquina pública. A acusação diz que Talysson concentrou os votos no município de Itabaiana e nos municípios circunvizinhos, sendo 72% dos votos, “na área de domínio do pai”, tornando seu filho eleito como deputado mais bem votado no estado de Sergipe, como elucidou o advogado de acusação.

Sérgio Banhos, relator do caso, votou  a favor da cassação dos direitos políticos de Valmir e Talysson. Já o ministro Carlos Horbach declarou pedido de vista – que significa significa reanálise do caso dos acusados. O presidente do TSE, Edson Fachin, acatou o pedido e o julgamento foi suspenso, a ser marcado para outra data.

Por Henrique Andrade