Compartilhar no WhatsApp

Josenaldo dos Santos da Silva, popularmente conhecido como Naldo Borracheiro, foi julgado mais uma vez nesta quinta-feira, 17, pela morte de mais uma de suas vítimas, um homem identificado como Denilson Manoel dos Santos. O julgamento ocorreu na 2ª Vara Criminal de Nossa Senhora do Socorro e o réu foi condenado a 17 anos , 2 meses, e 53 dias de prisão em regime fechado, pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Borracheiro volta a ser julgado nesta quinta pela morte de um homem (Foto: Portal Infonet)

A decisão foi tomada levando em consideração os seus antecedentes criminais, visto que Naldo já havia sido julgado outras duas vezes pelo mesmo crime, uma vez em novembro de 2021 e outra no último dia 10 de fevereiro, bem como o emprego de meio cruel e de recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima. Além disso, o fato da vítima ter deixado quatro filhos menores sob os cuidados da avó paterna também influenciou a decisão do júri.

Continua depois da publicidade

Sobre a motivação para o crime, o júri optou por seguir a decisão anterior do Conselho de Sentença, o qual reconheceu a qualificadora do motivo fútil.

O caso

Em maio de 2019, Josenaldo dos Santos da Silva, 36 anos, foi preso em flagrante suspeito de matar e ocultar os corpos de quatro pessoas no município de Nossa Senhora do Socorro. Na época, três dos quatro corpos encontrados foram identificados e se tratavam de Maria Aparecida da Conceição, José Batista Sobrinho e Denilson Manoel dos Santos.

Por Luana Maria e João Paulo Schneider Infonet