Compartilhar no WhatsApp

Após a greve dos rodoviários do Grupo Progresso entrar no 5º dia sem nenhum acordo, o Ministério Público do Trabalho (MPT) pretende ajuizar intervenção das empresas Progresso, Tropical e Auto Paraíso. A informação foi confirmada nesta segunda-feira, 06, durante entrevista do procurador do MPT de Sergipe, Raymundo Ribeiro, ao Jornal da Fan, da Rádio Fan Fm.

Greve dos rodoviários: MPT pedirá intervenção judicial do Grupo Progresso

“O MPT do trabalho já ajuizou várias ações relacionadas a FGTS, salários, férias, 13º, que vem sendo descumpridos pelo grupo progresso. A justiça do trabalho nesses casos observa que é um serviço essencial que não está sendo cumprido. É um caso crônico. Resolvemos ajuizar uma nova ação hoje ou amanhã. Pretendemos pedir intervenção do grupo. É um caso extraordinário de um serviço que não pode parar. Os motoristas fazem serviço de alto risco com a violência urbana. O mínimo que se espera da empresa é pagar em dia. (…) Essa intervenção é para se colocar administradores nomeados pelo juízo para resolver. As empresas argumentam crise econômica, alta do diesel, terceira guerra, mas os trabalhadores não têm culpa”, contou.

Continua depois da publicidade

Para o procurador, somente uma nova licitação poderá resolver os problemas enfrentados atualmente no transporte público da Grande Aracaju. “A licitação é o que se pode melhorar o cenário dos trabalhadores, isso porque a legislação exige comprovação na fase de habilitação da capacidade financeira técnica operacional daquele que vai prestar o serviço. A gente observa que, no caso da Progresso, não há capacidade financeira do grupo, pelo menos é o que aparenta. Existe uma dificuldade grave onde os trabalhadores não são respeitados”, finaliza.

5º dia

Trabalhadores das empresas Progresso, Tropical e Auto Paraíso se reuniram novamente na porta da garagem da empresa para reivindicar questões trabalhistas. Eles reivindicam pagamento integral de 70% da folha salarial atrasada do mês de abril.

Linhas afetadas

Com a paralisação, estão afetadas as seguintes linhas:

001-Augusto Franco/Bugio
031-Eduardo Gomes/Centro via Des. Maynard
033-Terminal Rodoviário/Centro via Des. Maynard
034-Terminal Rodoviário/Centro via Lourival Batista
035-Terminal Rodoviário/Mercado via Nova Saneamento
041-Aquarius/Centro via Aeroporto
060-Padre Pedro/D.I.A.
070-Santa Maria/D.I.A.
200 CIC1-Circular Indústria e Comércio 01
301-Luiz Alves/Zona Oeste
307-São Cristóvão/Zona Oeste
310-Terminal Rodoviário/Shopping Riomar
311-Rita Cacete/Zona Oeste
312-Pedreira/Zona Oeste
400-1-Circular Santa Lúcia 01
400-2-Circular Santa Lúcia 02
401-Inácio Barbosa/UNIT/D.I.A.
402-Sol Nascente/D.I.A. via JK
404-Caípe Novo/D.I.A. via Prainha
405-17de Março/D.I.A. via Marivan
406-Aloque/D.I.A.
407-Padre Pedro/D.I.A.
408-1-Paraíso Sul/D.I.A. 01
408-2-Paraíso Sul/D.I.A. 02
414-Marivan/D.I.A.
501-Pov. São José/Zona Sul
503-Conj. Beira Mar/Zona Sul
504-17 de Março/Zona Sul via Aquarius
600 CP1-Circular Praias 01
600 CP2-Circular Praias 02
703-Augusto Franco/Centro via Siqueira Campos
708-Terminal Rodoviário/Centro via Bairro América
710-Veneza/Centro via D.E.R.
711-D.I.A./Centro via Castelo Branco – Suíssa
717-Mosqueiro/Mercado via Beira Mar
720-UNIT/Centro via Jardins
801-Luiz Alves/Campus via Rosa Maria

O Setransp alega dificuldades financeiras, apesar do aumento da tarifa do transporte de R$ 4 para R$ 4,50 e aprovação de projeto de lei para zerar cobrança de impostos do serviço.

Fonte: FanF1